Header Ads

Cinco de 22 áreas de saúde do Ceará têm aumento nos casos de Covid-19 em duas semanas

Leitos de UTI em Iguatu
Das 22 Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) do Ceará, cinco apresentaram incremento da quantidade casos confirmados e suspeitos de Covid-19, no comparativo entre os dias 26 de julho e 8 de agosto com o período entre 9 e 22 de agosto, de acordo com boletim da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), divulgado nesta sexta-feira (4). As ADS que tiveram acréscimo no número de casos foram: 

Canindé (38,8%), indo de 330 casos para 458; Crateús (31,1%), indo de 998 casos para 1.308; Icó (26,7%), indo de 499 casos para 632; Iguatu (8,3%), indo de 1.150 para 1.245; Tauá (2,8), indo de 213 para 219. 

As ADS são divisões criadas pelo Governo do Estado do Ceará com municípios pólos para reunir as informações sobre a pandemia do coronavírus e descentralizar o foco da Capital. O mais recente boletim da Sesa compara as mudanças entre as semanas epidemiológicas 31 e 32 (de 26/07 a 08/08) com as semanas 33 e 34 (de 09/08 a 22/08). 

Apesar de Canindé ter apresentado o maior acréscimo quando comparadas as semanas, em números absolutos é Fortaleza que lidera a estatística, 2.292 casos confirmados e suspeitos nas semanas epidemiológicas 33 e 34, em comparação às semanas 31 e 32. A Capital também encabeça os números absolutos de óbitos confirmados e suspeitos com 33 registros até o último dia 22 de agosto. 

Fortaleza, contudo, apresentou diminuição tanto nos casos, quanto nos óbitos, já que o primeiro período de comparação mostrou 3.120 ocorrências e 50 mortes, respectivamente uma redução de 26,5% e 34%. 

Em relação aos óbitos confirmados e suspeitos, foram seis ADS a apresentar incremento dos números comparando as mesmas Semanas Epidemiológicas, sendo elas: 

Itapipoca (100%), indo de 5 para 10; Limoeiro do Norte (33,3%), indo de 12 para 16; Russas (33,3), indo de 9 para 12; Canindé (20%), indo de 10 para 12; Crato (12,5%), indo de 24 para 27; Sobral (8,6%), indo de 35 para 38. 

Taxa de mortalidade 
Já a taxa de mortalidade da Covid-19 no estado passou de 92,1 para 93,2 óbitos a cada 100 mil habitantes. “Com destaque para as ADS Brejo Santo (41,8), Icó (39,9), Crateús (42,2) e Quixadá (66,5) que apresentaram incrementos de 9,8%, 9,5%, 6,8% e 6,4%, respectivamente”, informa o Boletim da Sesa. 

Cenário da pandemia no Ceará 
O Ceará registra, até a manhã desta sexta-feira (4), 221.288 casos confirmados de Covid-19 e 8.538 mortes em decorrência da doença. Já são 194.756 pessoas recuperadas da enfermidade. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizada às 9h17 pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

São contabilizados ainda 93.735 casos suspeitos e 604 mortes em investigação. Já foram notificados 668.651 casos desde o início da pandemia. O Estado já aplicou 667.822 testes para identificar o novo coronavírus.

As cidades com maiores incidências de casos confirmados de Covid-19 por 100 mil habitantes são Acarape (10.382,5), Frecheirinha (10.091), Groaíras (6.414,9), Chaval (6.067,8) e Moraújo (5.547,9). 

Fortaleza concentra os maiores números absolutos da doença: 47.350 casos confirmados e 3.794 mortes. A incidência na capital está em 1.773,8. 

Juazeiro do Norte, no Cariri, registra 14.530 diagnósticos positivos, 264 óbitos pela doença e uma incidência de 5.298,9. Em Sobral, cidade da Região Norte que tem 5.489,3 de incidência, 11.469 pessoas foram infectadas e 298 não resistiram à doença na cidade. 

Na Grande Fortaleza, as cidades com o maior número de casos confirmados, além da capital, são Maracanaú (6.505), Caucaia (5.614) e Maranguape (4.658). Maracanaú registra 238 mortes e incidência de 2.854,5. 

Caucaia, segunda cidade em óbitos, tem 339 falecimentos confirmados e 1.553,4 de incidência. Maranguape concentra 115 mortes e incidência em 3.611,5.                         (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.