Header Ads

Número de acidentes de trânsito volta a crescer no interior do Ceará; Crato e Juazeiro também registram aumentos


As medidas mais rigorosas de isolamento social, por causa da pandemia da Covid-19, causaram uma queda considerável no fluxo de veículos nos principais municípios do interior, que chegou a 70% em alguns casos. Porém, com o avanço de fases no Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas, criado pelo Governo do Estado, algumas cidades apresentaram um aumento de até 100% na quantidade de acidentes em relação aos períodos de 'lockdown'. 

Os dados da Polícia Rodoviária Estadual também são um exemplo de como o isolamento social foi impactante no número de acidentes nas rodovias estaduais. Entre abril e setembro deste ano, foram 867 registros, que representam 36,5% a menos a igual período de 2019, quando alcançou a marca de 1.365. 

A quantidade de feridos também é inferior neste recorte temporal: 528, em 2020, contra 790 no ano passado, ou seja, 33,2% abaixo. Maior município da região Norte do Estado, Sobral possui frota de 100.014 veículos, segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), mas, de acordo com a Coordenadoria Municipal de Trânsito (CMT), houve uma queda de 62% no fluxo durante as medidas mais rigorosas de fiscalização e controle, como a autodeclaração, as barreiras sanitárias e as 13 operações diárias. 

Entre os três primeiros meses do ano, Sobral chegou a ter uma média diária superior a um acidente. Fevereiro, antes da pandemia, foi o recorde, com 56 ocorrências. A partir de abril, houve uma redução considerável, tendo maio como o mês de melhor índice, com apenas 16 registros. 

Em junho, houve a retomada gradativa das atividades econômicas e, consequentemente, de acidentes, chegando a 28. Já julho (45) e agosto (41) se aproximaram dos números anteriores à chegada do novo coronavírus ao Ceará. "O fluxo está praticamente normal. Intensificamos a fiscalização e já observamos uma redução em setembro", observa o coordenador da CMT, Julif Guedes, ressaltando que em setembro foram 29 ocorrências. 

Com aproximadamente 130 mil habitantes, e uma frota de 40.739 veículos, Itapipoca é mais um município que apresenta um crescimento no número de acidentes nas vias municipais em relação ao período de isolamento social. Em abril, foram apenas quatro ocorrências, sendo que nos meses seguintes, inclusive em maio, quando entrou em 'lockdown', já crescia para sete o número de acidentes de trânsito. No mês passado, somou 14, a mesma quantidade de fevereiro, por exemplo. 

Segundo o diretor da Autarquia de Trânsito de Sobral, Paulo da Mota Davi, o fluxo de veículos chegou a 30% durante o isolamento social mais rígido. "Hoje, está praticamente 100% em termos de circulação de pessoas e veículos, até porque não tem nenhuma determinação para barrar. É notória uma redução no período de 'lockdown'", destaca. Por outro lado, reforça que estes acidentes nas vias municipais não são graves, gerando praticamente danos materiais ou lesões. "Os acidentes mais graves são nas rodovias que cortam nossa cidade. Isso fruto de um trabalho de conscientização e fiscalização, principalmente no uso de capacete, que hoje é 99% utilizado pelos motociclistas". 

Redução 
Maior município do interior do Ceará, Juazeiro do Norte, que possui cerca de 274 mil habitantes, registra a segunda maior frota do Estado com 128.810 veículos, atrás apenas de Fortaleza. Lá, o Departamento Municipal de Trânsito de Juazeiro do Norte (Demutran) também registrava uma redução de 70% no fluxo de veículos e, consequentemente, a queda nos acidentes de trânsito, apostando também na interdição das principais vias comerciais da cidade. Se comparado os nove primeiros meses deste ano com igual período de 2019, a queda é de 44,02%, sendo 234 ocorrências em 2020 e 418 registros ano passado. 

"A paralisação da atividade comercial, consequentemente reduziu a circulação da população nas ruas, e uma das consequências positivas, se tratando de trânsito, foi a redução no número de ocorrências, entre os meses de março a julho", ressalta o diretor do Demutran, Pedro Cipriano. Os dois primeiros meses, antes da pandemia, tiveram 42 e 36 registros, respectivamente. Já de março a julho, a média ficou entre 20 ocorrências por mês. 

"O comércio de Juazeiro do Norte vem retornando suas atividades gradualmente e é possível observar um pequeno aumento nos registros das ocorrências em agosto e setembro", completa, Cipriano. Em agosto, foram 26 acidentes, enquanto setembro foram registrados 31. "Este aumento é natural, mas os números ainda são melhores que ano passado, que mostra a intensidade na fiscalização e sinalização". 

Ainda na região do Cariri, em Crato, que possui uma frota de 55.799 veículos, a Secretaria de Segurança Pública apontou para uma diminuição de 40% na circulação, a menor se comparada aos outros municípios. Isso explica o porquê de não haver uma redução tão significativa no número de acidentes. Em janeiro e fevereiro, por exemplo, foram 11 e 15 registros, respectivamente. A quantidade chegou a ser superior em três dos quatro meses seguintes: março (17), abril (15), maio (14), junho (17). 

Julho apresentou o menor número de ocorrências (12) desde o início da pandemia, seguido de um crescimento em agosto (14). Já em setembro, em apenas um mês, dobrou a quantidade de acidentes. "O fluxo está totalmente liberado. O Centro chegou a ter proibição, mas agora está normalizado. Tem pessoas que permanecem em isolamento social. Mas até a circulação de idosos voltou. Agrava o fato de receber pessoas de outras cidades, como Nova Olinda, Exu, mas a fiscalização é rigorosa", aponta o diretor do Departamento Municipal de Trânsito de Crato (Demutran), Daniel Aquino.


Exceção
Em Iguatu, na região Centro-Sul, que possui cerca de 102 mil habitantes e soma 53.238 veículos registrados, apesar de também apresentar uma queda de acidentes com a pandemia, o baixo índice permaneceu após a reabertura mais gradual das atividades econômicas. Janeiro (37) e fevereiro (33) lideram o número de ocorrências, que diminuiu continuamente em março (23), abril (21), maio (16), junho (9). A surpresa vem a partir dos meses de julho (10), agosto (11) e setembro (9), os dois últimos após o fim do 'lockdown'. 

Os números surpreendem, pois, segundo os dados da Secretaria Municipal de Trânsito e Segurança, o fluxo de veículo teve uma queda de 49% em abril, em relação ao ano passado. "Desde setembro, está normal e mantivemos poucos acidentes", explica o diretor do Demutran de Iguatu, Jakson Barbosa. Ele atribuiu isso ao trabalho dos agentes de trânsito após a retomada das atividades. "Colocamos eles em locais comuns de terem acidentes, onde canalizam e ficam orientando. Também observamos problemas de buracos, sinalização", diz.

(Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.