Header Ads

Diocese de Crato planta mudas em memória dos romeiros de Juazeiro do Norte


Atendendo a campanha "Cuidar da Saudade" da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Diocese de Crato plantou, na manhã desta segunda-feira (2), nove mudas de árvores nativas da região, nos jardins da Basílica de Nossa Senhora das Dores, em Juazeiro do Norte, representando todos os estados do Nordeste. Além de prestar uma homenagem aos falecidos, neste Dia de Finados, lembrou os romeiros que, por causa da pandemia da covid-19, não puderam estar na terra do Padre Cícero. 

Ao lado de cada muda, foi colocada uma bandeira de cada estado nordestino. Foram plantados três pés de juá, dois de timbaúbas, um de flamboiã, ipê roxo, jambo e tamarindo. 

“Queremos ser solidários a todas as vidas, em especial, aquelas acometidas com a covid-19. Plantar uma árvore é plantar a vida. Se responsabilizar em cuidar da vida”, reforçou o bispo de Diocese de Crato, dom Gilberto Pastana. “Queremos também ser solidários e recordar todos os romeiros e romeiras do Estado do Nordeste. Cada árvore será plantada de acordo com um Estado, recordando as vidas ceifadas que serão lembradas pelos seus entes queridos e todos nós”, completou Dom Gilberto, reforçando que cuidar da natureza foi um dos maiores ensinamentos do Padre Cícero. “Queremos com este gesto ser solidários a todos aqueles que estão defendendo o Meio Ambiente”, reforçou o bispo. 

Reitor da Basílica de Nossa Senhora das Dores, o padre Cícero José da Silva reforçou que isso atente do pedido da CNBB. “Estamos em comunhão, neste ano atípico, onde muitos fiéis deixaram de ir aos cemitérios visitas seus entes queridos para plantar uma árvore, ou seja, preservar a natureza, que é uma causa em comum de todos nós”, acredita. 

Convidada para participar da plantação de mudas, a romeira Raimunda Araújo, que mesmo sem programações presenciais na Romaria de Finados, resolveu visitar Juazeiro do Norte e se emocionou com o gesto. Natural de Mossoró, no Rio Grande do Norte, representou seu Estado e lembrou do gesto como uma alerta para o grande número de queimadas. “Está difícil. De lá para cá, na estrada, onde passava, via a queimadas. Isso aqui é muito importante para todos nós”, reforçou. 

Gesto compartilhado
A Diocese de Tianguá, no Norte do Estado, foi outra a compartilhar deste mesmo gesto simbólico, orientado pela CNBB. Ao todo, foram plantadas 90 mudas, sendo 85 representando o número de vítimas da covid-19 no Município, enquanto as demais representaram padres, bispos e religiosos que também morreram pela doença. 

O gesto aconteceu no bosque do convento, ao lado da Cúria Diocesana, após a missa das 6h30, na Capela da Diocese. Em seguida, houve uma pequena procissão até o espaço, onde houve uma bênção e, por fim, o plantio. Foram introduzidas mangueiras, abacateiras, jaqueiras, pau d’arco (ipes) e jambo.

(Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.