Header Ads

Pré-estação chuvosa tem início antecipado, apontam especialistas

FOTO: HONÓRIO BARBOSA

As chuvas da pré-estação (dezembro e janeiro) começaram mais cedo neste ano no Ceará, conforme apontam os meteorologistas. Nos primeiros dias de novembro, intensos volumes têm sido registrados em várias cidades cearenses. 

Para Raul Fritz, meteorologista da Funceme, a antecipação não é um fato incomum e ocorre quando há junção de vários fatores climáticos como umidade do ar, calor e a influência da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), um sistema frontal, que penetra no Nordeste à altura da Bahia, oriundo do oceano, e atinge o sul e leste do Piauí, o oeste de Pernambuco e da Paraíba e o centro-sul, sul e oeste do Ceará. 

"As chuvas em novembro ocorrem geralmente a partir da segunda quinzena de dezembro, mas neste ano vieram mais cedo", pontuou Fritz. O coordenador do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no Nordeste, Flaviano Fernandes, acrescenta que a presença de um "sistema de larga escala de convecção tropical na faixa equatorial - conhecido por Oscilação de Madden-Julian - influencia as chuvas, que podem ocorrer até o início de janeiro". 

Para o Inmet e o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe), o trimestre novembro a janeiro deve ser de ocorrência de chuva dentro da média histórica para o período, que é de 136.1 milímetros. 

Apesar do atual cenário positivo, Raul Fritz adverte que ainda não há como garantir, ou prever, o volume das precipitações em 2021. "As chuvas da pré-estação podem até animar os agricultores, mas não são indicativos se haverá ou não uma quadra chuvosa favorável no próximo ano". 

Outros indicadores 
O meteorologista do Cptec/Inpe, Elton Almeida, explica que os sistemas indutores de chuvas na quadra chuvosa (fevereiro a maio) são diferentes dos presentes no período da pré-estação, por isso não é possível relacionar as atuais chuvas como indicativo de bons volumes no próximo ano. "Os sistemas atuais não ocorrem naquele período, em que predominam a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e os Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis (VCAN)". 

O meteorologista Flaviano Fernandes, observa, entretanto, que a formação do sistema La Niña - esfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial - que deve chegar ao nível de moderada em janeiro próximo é um bom indicativo para a quadra chuvosa, no Ceará, em 2021. 

"Só o fato de não termos El Niño já é muito bom", ponderou. Fernandes acrescenta que na segunda quinzena de janeiro "saberemos como vai se comportar o Atlântico Sul Tropical", o que vai balizar as previsões da quadra chuvosa. 

Enquanto isso, agricultores já começaram a preparar as terras para o plantio. O diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Sebastião Alves, revela que produtores estão "animados e confiantes numa boa colheita".

(Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.