Header Ads

Fiscalização de aglomerações e festas de fim de ano vai ser intensificada a partir deste fim de semana no Ceará

Praias de Fortaleza registram lotação. FOTO: SVM

O Ministério Público do Ceará e o Governo do Estado traçaram um plano de fiscalização de aglomerações e eventos contrários ao decreto de isolamento social que possam ocorrer nas festas de fim de ano. A ação visa evitar o contágio no novo coronavírus e começa neste fim de semana. 

Conforme o MPCE, serão fiscalizados, por meio da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), eventos em diferentes áreas de Fortaleza, conforme o histórico dos locais onde há mais registro de aglomerações. Nas cidades do interior, a atuação será feita pelo MPCE, pelas vigilâncias estadual e municipais, e pela Polícia Militar.

De acordo com a Sesa, vão ser fiscalizados o horário de fechamento de bares e restaurantes e o uso de máscaras pelas pessoas nesses ambientes. 

O promotor de Justiça Eneas Romero explicou que a previsão é que as ações já comecem a partir deste fim de semana, de maneira que haja atuação preventiva e repressiva durante todo o período de fim de ano, em especial em relação às festas de Natal e de réveillon. 

“O plano é necessário porque a situação epidemiológica é mais preocupante e há muitas confraternizações de Natal, festas e também reuniões que podem representar um grande risco de aumento de contaminação ainda maior e eventualmente colapsar a rede de saúde”, explicou Romero. 

O Governo do Ceará vem renovando o decreto de isolamento social desde março e promovendo uma abertura gradual das empresas. Reuniões de público, com aglomeração, estão proibidas desde o início da pandemia, no entanto, as denúncias de festas ilegais são frequentes. 

Plano para frear 'possível segunda onda' de Covid-19 
A Secretaria da Saúde do Ceará divulgou na quarta-feira (9) um plano para frear "uma possível segunda onda" de Covid-19 no estado. Nas últimas semanas, cresceram os número de mortes e de internações de pacientes com a doença. Na rede pública, 75% dos leitos de UTI estão atualmente ocupados. 

No plano elaborado pelo Governo do Estado há orientações aos profissionais da saúde e à população sobre como proceder no atual momento e nos próximos períodos.                        (Fonte: G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.