Header Ads

Investigado pela morte do prefeito de Granjeiro é preso, em Crato, por romper tornozeleira eletrônica

Delegacia Regional do Crato. FOTO: Lorena Tavares/Arquivo

Um dos envolvidos na morte do prefeito do município de Granjeiro, João Gregório Neto, 54 anos, foi preso durante uma ação da Polícia Civil realizada na manhã desta sexta-feira (4), em Crato. O homem foi capturado após descumprir medidas cautelares determinadas pelo Poder Judiciário do Ceará. Ele já tinha sido alvo da Polícia Civil em julho deste ano, quando foi determinada a prisão domiciliar do suspeito. 

Francisco Rômulo Brasil Leal dos Santos, 59, foi capturado em sua residência após romper a tornozeleira eletrônica que deveria usar. As investigações apontam que o suspeito pretendia fugir do local onde estava morando. Em razão disso, foi expedido um mandado de prisão para o suspeito, que acabou capturado no bairro Seminário, no Crato. 

Conforme o delegado Luiz Eduardo da Costa Santos, titular da Delegacia Regional de Crato, o preso era funcionário de Ticiano da Fonseca Félix, o “Ticiano Tomé”, apontado, junto com seu pai, de ser o mandante do crime. Ainda segundo as apurações, Francisco Rômulo seria o responsável por deixar os envolvidos no crime na cidade de Brejo Santo. Ele já havia sido preso em fase anterior da investigação e usava tornozeleira eletrônica, porém rompeu o dispositivo para tentar fugir. 

“Depois que recebemos a confirmação (do rompimento da tornozeleira eletrônica), por meio da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), representamos mais uma vez pela prisão dele, que foi capturado na manhã de hoje, por descumprimento de medida cautelar e risco de fuga”, explicou o delegado. 

Cronologia da investigação 
No dia 9 de janeiro, a Polícia Civil apresentou detalhes iniciais do caso e divulgou a identidade de um dos investigados. O Poder Judiciário determinou que Vicente Félix de Souza, 60, pai do atual prefeito de Granjeiro, utilizasse tornozeleira eletrônica e que se mantivesse em área de restrição específica, como medida cautelar. 

Um segundo veículo apontado nas investigações, que teria dado apoio à empreitada criminosa, modelo Chevrolet S10, de propriedade de um parente de Vicente, foi apreendido no mesmo dia. Documentos e aparelhos celulares encontrados em endereços de Vicente Félix também foram apreendidos e encaminhados para a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) para serem submetidos à análise pericial. 

Ainda em janeiro, nos dias 16 e 28, em ações realizadas nos estados do Piauí e Maranhão, a Polícia Civil prendeu outros três homens que teriam ligação com o veículo – um Volkswagen Polo. Para os investigadores, o automóvel foi utilizado pelos executores do crime. 

No dia 3 de março, José Plácido da Cunha, 53, foi capturado em uma residência situada no bairro Cidade Nova, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza. A prisão ocorreu por força de um mandado de prisão temporária em razão de ameaças realizadas pelo suspeito a testemunhas do caso, além de outros indícios de autoria delitiva do crime. 

Willyano Ferreira da Silva, 30, e Wendel Alves de Freitas Mendes, 26, tiveram mandados de prisão temporária cumpridos no dia 9 de julho, quando foram localizados em um imóvel da cidade do Crato. Willyano é apontado como responsável por conduzir o Volkswagen Polo que foi utilizado pelos executores do crime. Já Wendel é suspeito de ter feito a articulação para conseguir o veículo usado no cometimento do homicídio e por ter auxiliado na fuga. Os dois são investigados por integrar uma organização criminosa que alugaria veículos de locadoras para serem utilizados em crimes e depois não devolviam os automóveis das empresas. 

Já no último dia 15 de julho, a Polícia Civil deflagrou uma operação que resultou nas capturas de nove alvos investigados por participarem, direta ou indiretamente, da morte do político. Ao todo, os policiais civis foram em endereços nas cidades de Fortaleza, Crato, Juazeiro do Norte, Granjeiro e Salgueiro (PE) para cumprir 15 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão preventiva e domiciliar em desfavor dos alvos da investigação.


Foragidos 
A Polícia Civil do Ceará mantém as diligências no intuito de capturar outras três pessoas que foram indiciadas por participação no crime. São eles: José Plácido da Cunha (53), Manuel Fernando Mateus Ariza (31) e Thyago Gutthyerre Pereira Alves (31). A população pode colaborar com as investigações através dos canais de denúncias. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou ainda para o número (88) 3102-1285, da Delegacia Regional de Crato. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.