Header Ads

Médicos podem paralisar devido atraso no pagamento de salários no Hospital São Lucas, em Juazeiro


Médicos que prestam serviço de obstetrícia no Hospital e Maternidade São Lucas, em Juazeiro do Norte, podem paralisar esta semana devido atraso no pagamento de salários. De acordo com a categoria, estes estão com atraso salarial referente ao mês de outubro, e denunciam que o período de transição da gestão municipal tem causado precariedade nos vínculos profissionais dos médicos, que não possuem contrato formal. Em nota, informaram ainda que a Secretaria de Saúde do município e a Associação das Crianças Excepcionais de Nova Iguaçu (ACENI), empresa que gere a unidade, foram previamente informadas da possibilidade de paralisação. 

No último mês de junho, funcionários lotados no hospital e na UPA do Limoeiro, que também é gerida pela ACENI, fizeram protesto em frente da sede da Secretaria Municipal de Saúde, cobrando a rescisão dos salários referente ao mês de maio. Na época, a pasta passava por transição de gestão da secretaria. 

De acordo com a defesa da categoria, os profissionais que prestam serviço da unidade já sofrem de sucessivos atrasos nos salários, que se repetiu no último mês e até o presente momento não houve quitação por parte da administração municipal, que é responsável pelo repasse dos salários dos médicos. Em nota à imprensa, divulgada nesta sexta-feira (4), estes informaram ainda que a situação já foi investigada pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, que denunciou atraso no pagamento dos salários a profissionais da medicina em Juazeiro do Norte e outras 14 prefeituras no Estado. 

“Até a presenta data, em pleno período de transição da gestão municipal, encontra-se com salário do mês de Outubro ainda em atraso, e sem qualquer expectativa de recebimento. O próprio Sindicato Médico do Estado do Ceará já divulgou em suas páginas a irregularidade no pagamento dos salários. […] Considerando a precariedade dos vínculos dos profissionais médicos, que  não tem respaldo de um contrato formal de trabalho, vem comunicar a possibilidade de paralisação das atividades, fato que também já foi comunicado formalmente à Secretaria Municipal de Saúde e à Direção Superior da Associação das Crianças Excepcionais de Nova Iguaçu (ACENI)”, informam em nota. 

Foi informado ainda que, caso ocorra a paralisação, será assegurada a manutenção dos atendimentos de urgência e emergência, de acordo com o Código de Ética Médica. 

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte, bem como a Associação das Crianças Excepcionais de Nova Iguaçu (ACENI), e aguarda retorno.

(Fonte: Site Badalo)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.