Header Ads

Recepcionista é preso por engano em Fortaleza e solto 24 horas depois


O recepcionista Tiago dos Santos Bezerra, 36, foi preso por engano nesta sexta-feira, 11, no 27º Distrito Policial, no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza. O mandado de prisão por roubo que justificou a detenção de Tiago, no entanto, está em aberto contra outra pessoa que tem o mesmo: Tiago dos Santos, 30, mas que tem idade diferente e não possui o último sobrenome do que foi detido. As mães dos dois também têm nomes similares. A decisão da prisão contra o Tiago errado foi revertida por volta do meio dia deste sábado, 12, quase 24 horas após a confusão, e ele foi liberado. 

Morgana Bezerra, irmã do Tiago Bezerra, explicou que o irmão foi à unidade policial para registrar Boletim de Ocorrência depois de ter o dinheiro extraviado. No local, a delegada plantonista decretou a prisão do homem sem ao menos dialogar com ele. “Eu não sei como não viram que eram duas pessoas diferentes, com idades diferentes, e não se deram ao trabalho de procurar o processo”, contesta. 

Tiago Bezerra foi levado ainda à Delegacia de Capturas e ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou pelo exame de corpo-delito. Conforme a defesa do homem, houve abuso de autoridade no caso. 

“Graças a deus o Tiago está em casa. Mas não está bem psicologicamente, está abalado. Ele nunca teve um problema com a justiça. A gente brinca, mas nunca tivemos nenhum problema com justiça. Nenhum dos seis filhos do meu pai”, lamenta Morgana. 

O caso contra o verdadeiro Tiago dos Santos tramita na 2º Vara Criminal de Caucaia, Região Metropolitana. Nos autos consta crime por roubo cometido em 2010. Porém, desde 2017, a Justiça havia expedido mandado de prisão contra ele. 

Em nota, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) afirma que um homem foi detido por engano por ter o mesmo nome, assim como o mesmo nome da mãe, de um suspeito que tinha um mandado de prisão em aberto, na tarde desta sexta-feira (11), no 27º Distrito Policial (DP). “Assim que as informações foram esclarecidas, um alvará de soltura foi expedido pela Comarca de Caucaia e o homem foi posto em liberdade.” 

Por vídeo, Mayara Lima reitera a situação como abuso de autoridade e aponta equívocos dos procedimentos ao não ter sido conferido a ausência de paternidade do verdadeiro acusado e as diferenças de idade. 

“Diante disso, a família vai tomar algumas providências. Dentre elas, o ajuizamento de ação indenizatória em face do Estado do Ceará. Assim como representação da Controladoria e demais órgãos competentes”, garantiu.

(O Povo)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.