Header Ads

Criança de 6 anos desaparece após mãe ser espancada pelo companheiro em Pacatuba


Um garoto, de 6 anos, com transtornos mentais está desaparecido, desde 12 de janeiro, após a mãe ser espancada a pauladas pelo companheiro em um sítio no bairro Alto Fechado, em Pacatuba. O homem sumiu no mesmo dia que a criança, segundo a mulher. A Polícia averigua se existe envolvimento dele no caso. 

A mãe, identificada como "Charlene", que também é paciente psiquiátrica, afirmou às autoridades que ficou desacordada após ser espancada e não viu o que aconteceu com o filho. No dia 15 de janeiro, ela procurou uma delegacia e registrou o Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o desaparecimento. 

Segundo uma das linhas de investigação da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) do município, o homem, conhecido como "Giliarde", é suspeito de ter atingido o garoto enquanto batia na jovem e depois fugido levando-o. 


Após receber o caso, na segunda-feira (18), a DDM realizou, através de agentes do Corpo de Bombeiros, buscas no sítio em que Giliarde morava e local da agressão, mas não encontrou a criança. 

Investigação 
O casal vivia um relacionamento conturbado de apenas dois meses e discutia bastante, segundo a investigação. Charlene, que está grávida de Giliarde, já havia sido agredida outras vezes. Ainda conforme à Delegacia, um dos motivos das brigas era o fato dela não aceitar que o homem, que seria dependente químico, usasse drogas na frente dos três filhos.

O envolvimento de uma segunda pessoa no caso também é averiguado pela força de segurança. A hipótese é de que uma mulher, chamada de Mary, possa ter ajudado Giliarde. Ela vendia entorpecentes para ele e, de acordo com a Polícia, às vezes também usava as substâncias ilícitas com o homem. 

Em nota, a Secretaria de Segurança de Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que “um inquérito policial foi instaurado, e as apurações estão em andamento”. 

Histórico de agressão 
Conforme informações da Delegacia, a criança desaparecida possui marcas de queimaduras de cigarro feitas pelo pai biológico, que foi indiciado, em 2020, por tortura. 

Denúncias 
A SSPDS reforçou que a população pode contribuir com informações que ajudem os trabalhos policiais na busca pelo garoto. As denúncias podem ser feitas pelo número (85) 3384-5820, da Delegacia de Defesa da Mulher de Pacatuba. O sigilo e o anonimato são garantidos.

(Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.