Header Ads

Ceará deve se tornar hub de hidrogênio verde; lançamento será em breve

Hidrogênio verde produzido no Ceará deverá ser
exportado pelo Porto do Pecém para a Europa. Foto: Carlos Marlon

Um programa que inclui a construção de uma usina de hidrogênio verde no Ceará está pronto e deve ser lançado em breve, afirmou nesta segunda-feira (15) o secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Júnior. “Essa semana, estamos aguardando o governador agendar o lançamento do programa do hub do hidrogênio. Tá pronto, negociado, pronto pra ser lançado”, assegurou. Com investimento da Austrália, o projeto é uma das principais apostas do governo para impulsionar a economia do Estado. 

“Dois países da América do Sul estão anunciando programas semelhantes: Brasil e Chile. E no Brasil, quem está anunciando é o Ceará. Isso são boas condições que a gente está ofertando. O Ceará tem os insumos: tem água e tem energia. Vem investidor lá da Austrália, vamos assinar um protocolo com ele, estamos aguardando só o evento ser marcado pelo governador. É assim que se dá desenvolvimento”, completa.

O hidrogênio verde é apontado com a nova energia do futuro, e pode ser utilizado como combustível limpo, como informou o Diário do Nordeste em reportagem publicada em novembro do ano passado. “O investimento em hidrogênio verde é energia elétrica limpa mais água, isso pode produzir no Estado uma usina de hidrogênio verde, que é um gás para movimentar indústria, geração de energia, transporte”, indica Maia Júnior. 

Naquele mês, o coordenador de Atração de Empreendimentos Industriais Estruturantes da Sedet, Sérgio Araújo, indicou que o Ceará seria o maior produtor de hidrogênio verde do País durante transmissão do evento ProEnergia. 

Investimentos 
Em reunião com o secretariado nesta segunda, o governador Camilo Santana elegeu entre as prioridades para este ano o fortalecimento da economia, com mais investimentos e a geração de novos empregos. Ao ser perguntado sobre os próximos passos da Sedet para permitir essas condições, Maia Júnior ressaltou as medidas estão previstas no plano Ceará Veloz, apresentado em 2019. 

O programa também inclui a unificação dos órgãos de desenvolvimento econômico em um único espaço físico e digital, a continuidade de investimentos públicos em educação; melhoria em equipamentos estruturais, como a expansão do Porto do Pecém e a duplicação de rodovias estaduais para melhorar o fluxo de viajantes internos. 

“Está praticamente todo implantado, falta a mudança para uma única plataforma física de trabalho, onde vão ficar todos os ambientes da secretaria e suas vinculadas, no mesmo prédio. E também a digitalização da secretaria que deve ser concluída até essa mudança. A gente trabalha diariamente no sentido de aprimorar a transparência, as garantias para os investidores, desburocratizar e simplificar, melhorar os licenciamentos ambientais, o acesso e o relacionamento com as entidades de crédito”, acrescenta. 

Economia 
Para o secretário, o cenário econômico do Ceará e do País para 2021 ainda estão incertos, principalmente, devido ao atraso na vacinação contra a Covid-19. 

“A vacina é diretamente importante para poder se manter uma economia com prosperidade. Se tivesse vacinando intensamente, teria uma perspectiva de economia melhor. Não sei o que pode haver com a economia do Ceará por conta da programação de vacinação atrasada, e a Covid-19 se mostrando forte novamente”, pondera.

Há uma perspectiva de crescimento de 3,5%, de acordo com Maia. “Para isso acontecer, a economia tem que estar ativa, tem que ter investimento público, privado. O governador tá segurando os investimentos públicos. No caso do Ceará, estamos tendo investimentos privados, senão não estava gerando emprego e a economia estava um desastre.”, ressaltou. 

“Estamos trabalhando para ser melhor do que o ano passado, mas o Ceará não é uma bolha, não tá fora do circuito de desenvolvimento econômico do País. Se o País não vai bem, o Ceará também não vai.”

(Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.