Header Ads

Ceará receberá novo lote de vacinas contra a Covid-19 em oito dias, anuncia Camilo Santana

Foto: José Leomar

O Ceará deverá receber, nos próximos oito dias, um novo lote de vacinas contra a Covid-19, segundo informou via redes sociais o governador Camilo Santana, na manhã deste domingo (14). O imunizante enviado para distribuir aos 184 municípios será a CoronaVac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.

O chefe do Executivo estadual disse que conversou mais cedo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e expôs o pedido por mais doses do imunizante. Ainda durante o diálogo, Camilo solicitou apoio para abertura de novos leitos exclusivos para o atendimento de pacientes infectados que demandam internação hospitalar. 

"Relatei ao ministro o aumento considerável de casos em nosso Estado, e pedi apoio no credenciamento de leitos de enfermaria e UTI Covid que vêm sendo abertos pelo Governo", frisou.

Lotes anteriores 
A primeira remesa de vacinas entregue ao Ceará, com 218 mil doses, chegou no dia 18 de janeiro em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). 

No dia 24 de janeiro, o segundo lote desembarcou com 72.500 doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, após Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) concluir a análise de segurança das duas milhões de doses. 

O terceiro carregamento foi enviado no dia 25 de janeiro, com 33.200 doses da CoronaVac. 

Já no último dia 6 de fevereiro, o Ceará recebeu 115 mil doses da CoronaVac, que estão usadas para vacinar profissionais de saúde incluídos no grupo 1 do plano de imunização. 

Grupos prioritários 
A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) atualizou, no último dia 27 de janeiro, o Plano de Vacinação contra Covid-19, com desmembramento de categorias da população prioritária. 

Veja a divisão de grupos prioritários: 

Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas 
Pessoas com deficiência institucionalizadas 
População indígena que vive em terras indígenas 
Trabalhadores de saúde 
Pessoas de 75 anos ou mais 
Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas 
Povos e comunidades tradicionais quilombolas 
Pessoas de 60 a 74 anos 
Pessoas com comorbidades 
Pessoas com deficiência permanente grave 
Pessoas em situação de rua 
População privada de liberdade Funcionários do sistema de privação de liberdade 
Trabalhadores da educação do ensino básico (Creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA) 
Trabalhadores da educação do ensino superior 
Forças de segurança e salvamento 
Forças armadas Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros 
Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário 
Trabalhadores de transporte aéreo 
Trabalhadores transporte aquaviário 
Caminhoneiros 
Trabalhadores portuários 
Trabalhadores industriais

(Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.