Header Ads

Mais de 100 milhões de contas de celulares de brasileiros podem ter sido vazadas

Foto: Jirsak/Shutterstock

Segundo levantamento da Psafe, a empresa que havia descoberto o vazamento de 223 milhões de CPFs de brasileiros, agora foi a vez de 102.828.814 contas de celulares de clientes terem sido encontrados na Deep Web. 

A empresa ainda não cravou que seriam dados reais, pois pediu ao hacker uma prova. Portanto ainda não é possível cravar que se trata de um vazamento real. 

As bases verificadas pela Psafe estavam à venda na Deep Web por 0.026 bitcoin, cada, valendo um pouco mais de R$ 6.200. 

“Para verificar a veracidade das informações detectadas pelo dfndr enterprise, a equipe da PSafe entrou em contato com o criminoso e solicitou uma amostra do banco de dados oferecido para venda”, informou a empresa em nota, concluindo que, “obviamente”, não compactua com a venda de informações sigilosas. 

A Psafe informou também que os hackers alegam que os dados foram vazados são oriundos de clientes da Claro e Vivo. Seriam 57,2 milhões de contas da Vivo, com dados como nome, número de telefone, RG, endereço, informações sobre pagamentos e valores de faturuas. Da Claro seriam 45,6 milhões de registros com CPF, CNPJ, endereço, e-mail, número de telefone e outros dados. 

Algumas publicações revelaram ontem que dados do presidente Jair Bolsonaro e dos jornalistas Fátima Bernardes e William Bonner estariam na lista, a Psafe não confirma. 

Entramos em contato as empresas. A Vivo respondeu com uma nota afirmando que "reitera a transparência na relação com os seus clientes e ressalta que não teve incidente de vazamento de dados". A companhia ainda destacou "que possui os mais rígidos controles nos acessos aos dados dos seus consumidores e no combate à práticas que possam ameaçar a sua privacidade". Já a Claro ainda não respondeu.

(Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.