Header Ads

Político investigado na morte do prefeito de Granjeiro deixa penitenciária em Juazeiro


O ex-prefeito de Granjeiro, Vicente Félix de Sousa, de 62 anos, o “Vicente Tomé” deixou a cela da Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC) em Juazeiro do Norte. Ele é investigado como um dos mentores intelectuais no assassinato a tiros do prefeito daquela cidade João Gregório Neto, de 54 anos, o “João do Povo”. O crime aconteceu na manhã do dia 24 de dezembro de 2019 quando o prefeito fazia cooper no calçadão do açude do Junco perto de sua casa. 

No dia 15 de julho a justiça transformou a prisão cautelar de Vicente em preventiva quando o mesmo trocou a tornozeleira eletrônica por uma cela na penitenciária. Agora, o político retorna ao regime de prisão domiciliar passando a ser monitorado pelo núcleo caririense da Secretaria de Justiça já que voltou a usar o equipamento eletrônico. Ele se encontra num domicílio em Juazeiro desde a última sexta-feira do qual não poderá sair por continuar à disposição da justiça. 

A defesa de Vicente Tomé informou que entrou com um pedido de habeas corpus em razão de comorbidades e pelo risco de contaminação com a Covid-19, em razão da idade.

O Ministério Público denunciou Vicente e mais 16 pessoas por envolvimento no crime, cujo centro da investigação foi a 19ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Crato. Inclusive, o trabalho resultou em vários mandados de prisões preventivas cumpridos em Granjeiro, Fortaleza, Crato, Juazeiro e Salgueiro (PE). De acordo com as investigações, foi um crime político que resultou na posse do vice, Ticiano da Fonseca Félix, no cargo de prefeito. Trata-se do filho de Vicente que segue preso. 

(Fonte: Site Miséria)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.