Header Ads

Açude do Rosário recebe boa recarga de chuvas, em Lavras da Mangabeira

FOTO: Paulo Sérgio de Carvalho

O período de quadra chuvosa no Cariri tem rendido bom resultados nos reservatórios da Bacia do  Salgado. Apesar de nenhum deles ainda ter chegado aos 100% do volume existente, a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) afirma que, em termos de abastecimento, os reservatórios estão com quantidade garantida. Neste finalzinho de março, o volume de alguns deles se aproxima dos 90%. 

O Açude do Rosário, em Lavras da Mangabeira, é o que apresentou melhor recarga, com mais de 91% do volume e garantia de abastecimento até meados de 2025. Logo em seguida, está o Atalho, de Brejo Santo, que recebe água da transposição do Rio São Francisco. Ele está com 89,66% de volume e terá suas águas direcionadas para os estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

O gerente da Cogerh, Alberto Medeiros, destaca que a região passa, neste momento, pela metade da quadra chuvosa, que acontece até meados de junho. Como avalia, os açudes manifestam uma quantidade razoável de água. Enquanto todos têm garantia de abastecimento das cidades durante o ano de 2021, uma parte já garante o ano de 2022 e, muitos deles, possuem garantia estendida para além de 2023. No total, segundo dados do boletim da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), dos 15 açudes da Bacia do Salgado, quatro estão com volume inferior a 20%, oito com volume entre 20% e 60% e três com volume superior a 60%.

“Até o momento, não existe nenhum reservatório da Bacia do Salgado que obrigue os municípios a aplicarem medidas de recessão do uso de água. Com exceção do açude da cidade de Caririaçu, porque ele é abastecido pela adutora que vem do Açude Manoel Balbino”, explica Alberto. As medidas restritivas, como cita o gerente, não se devem pelo fato de o açude estar com volume baixo, mas por conta da adutora emergencial, inaugurada no início de 2015, feita para atender em regime de emergência. A cidade de Caririaçu é atendida pelo Manoel Balbino, de Juazeiro, em conjunto com o açude caririaçuense São Domingos. “Um compensando o outro para tentar melhorar o abastecimento dos cidadãos”, enfatiza.

“Apesar de nem todos os reservatórios estarem recebendo recargas consideráveis, quase todos estão com volume maior que no início do ano passado. Para a gente, isso já é um bom resultado”, pontua Alberto. 

Para os próximos três meses, o que se espera é que as chuvas continuem. Ele finaliza dando destaque à economia de água: “A população sempre tem que ser lembrada disso: a gente mora numa região semiárida em que chove pouco e evapora muito. Toda economia de água é o mais correto a se fazer, porque a gente nunca sabe se no próximo ano vai ter chuva para repor a água dos reservatórios. Então, a gente tem que economizar toda água possível”, ressalta.

Fonte: Jornal do Cariri

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.