Header Ads

Casos e óbitos de Covid-19 no Ceará devem se estabilizar entre abril e maio, indica estudo

Foto: Antonio Rodrigues

Uma projeção do Sistema de Monitoramento Preditivo (Simop) da Universidade Federal do Ceará (UFC) indica que a média móvel de casos de Covid-19 no Estado deve se estabilizar na primeira quinzena de abril. A de mortes pela infecção, por sua vez, também segundo o estudo acadêmico, deve ficar estável somente entre o fim do mês e o início de maio.

“A tendência é que a gente comece a entrar numa zona chamada de ‘platô’, ou seja, uma zona na qual o crescimento no número de casos diários tende a diminuir e se estabilizar”, aponta em um vídeo publicado no Youtube o professor André Lima Férrer de Almeida, do departamento de Engenharia de Teleinformática da UFC, um dos pesquisadores à frente do estudo.

A previsão é feita com base nas taxas atuais de contágio e considerando o momento atual de lockdown decretado pelo Governo do Ceará em todo o território estadual. “Se houver uma mudança brusca no comportamento da sociedade durante as próximas semanas, vai representar um novo pico mais pra frente”, explicou o professor em entrevista à reportagem.

André comenta ainda que a média móvel de óbitos — bem como a demanda por assistência hospitalar — está numa crescente, principalmente, desde fevereiro, mas que, em abril, a tendência é desacelerar. “Hoje, por exemplo, o ponto máximo está entre 100 e 150 de média móvel de óbitos. Ainda haverá crescimento, mas numa velocidade bem menor”, espera.

DEMANDA HOSPITALAR
De acordo com as projeções, a pressão sobre o sistema hospitalar no Estado também deve ser grande no mês de abril. “O platô na curva de demanda hospitalar deve ser mais pela terceira semana de abril”, observa André. Isso porque o número de novos casos, por mais que se estabilize, ainda será alto, e porque as internações pela doença estão sendo mais prolongadas.

Até as 19 horas desta terça-feira (30), segundo o IntegraSUS, de onde foram colhidos os dados para a pesquisa da UFC, a taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva (UTI) no Ceará era de 92,85% e a de leitos de enfermaria, 78,16%.

COMPARAÇÃO COM O BRASIL 
Ainda no que diz respeito à demanda hospitalar, o Brasil tem cenário semelhante ao Ceará. Contudo, com previsão de estabilização pouco tempo depois. “A gente tem ainda uma crescente até mais íngreme da demanda hospitalar no Brasil como um todo, durante a primeira quinzena de abril. A partir da terceira semana devemos atingir um platô”, diz André.

Já em relação aos casos e aos óbitos, o Ceará pode chegar ao platô pelo menos 15 dias antes do Brasil. Na previsão otimista, diz o pesquisador, o País “só deve chegar à estabilização [de casos] daqui a três semanas”, isso considerando que outras regiões adotem isolamento social rígido semelhante ao imposto no Estado. Na previsão pessimista, a média projetada é de quatro mil mortes por dia no País e aproximadamente 160 no Ceará.

CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO
Atualmente, segundo o IntegraSUS, com registros de até 17 horas desta terça-feira (30), o Ceará soma 534,9 mil casos confirmados da Covid-19 e 13,8 mil óbitos pela doença.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.