Header Ads

Ceará gera 12,3 mil empregos com carteira assinada em fevereiro


O Ceará gerou 12,3 mil novos postos de trabalho formais em fevereiro deste ano, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) atualizado nesta terça-feira (30) pelo Ministério da Economia. O número é resultado da diferença entre 43,2 mil admissões e 30,8 mil desligamentos.

O resultado representa uma alta de 1,05% em relação a fevereiro do ano passado, variação levemente melhor que a observada na média nacional, de 1,01%, que alcançou saldo de 401,6 mil vagas no mês.

No acumulado do ano, o Ceará gerou 20,2 mil novos postos de trabalho, fruto de 83,5 mil admissões e 63,3 mil desligamentos, um crescimento de 1,72% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ainda não haviam casos confirmados de covid-19 no Estado.

Já na comparação dos últimos 12 meses, de março de 2020 a fevereiro deste ano, o saldo cearense acumulado é de 26,6 mil vagas formais, representando um avanço de 2,3%, segundo o Caged.

SERVIÇOS LIDERAM ABERTURA DE VAGAS
O setor de serviços liderou a abertura de vagas no Estado no mês passado, com saldo de 5,8 mil empregos, com destaque para administração pública, que apresentou saldo de 3,11 mil empregos, sendo mais de 2 mil para a área da Saúde e Serviços Sociais.

Também apresentaram saldos positivos os setores de comércio (2,5 mil), indústria (2,5 mil) e construção civil (1,8 mil). A agropecuária foi o único segmento no Estado com redução de postos, tendo encerrado 450 vagas.

Serviços 5,8 mil
Comércio 2,5 mil
Indústria 2,5 mil
Construção Civil 1,8 mil
Agropecuária - 450

RANKING DOS MUNICÍPIOS
Entre os municípios, Fortaleza é o que apresenta maior saldo de vagas geradas em fevereiro, com 6,5 mil postos, uma alta de 1,01% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em seguida, aparecem Maracanaú (767), Juazeiro do Norte (460), Caucaia (425), Quixeramobim (367) e Tianguá (288).

No sentido contrário, Sobral foi o município com a maior perda de empregos formais em fevereiro, apresentando o fechamento de 765 vagas. Também registraram importantes reduções de postos Icapuí (-183) e Limoeiro do Norte (-130).

PERFIL DOS ADMITIDOS
Entre os cearenses que conseguiram uma recolocação no mercado em fevereiro, 26,4 mil eram homens e apenas 16,7 mil mulheres. Por grau de instrução, a predominância foi por profissionais que tenham ensino médio completo (27,9 mil). Já foi faixa etária, a preferência foi por trabalhadores com idade entre 30 e 39 anos (13 mil), entre 18 e 24 anos (11,9 mil) e entre 25 e 29 anos (8,7 mil).

BRASIL
Após a criação recorde de 258.141 vagas em janeiro, o mercado de trabalho formal brasileiro voltou a surpreender em fevereiro, com um saldo positivo de 401.639 carteiras assinadas, de acordo com os dados do Caged.

O resultado do mês passado decorreu de 1,694 milhão de admissões e 1,292 milhão de demissões. Esse foi o melhor resultado para o mês na série histórica, iniciada em 1992. Até então o melhor resultado para fevereiro havia sido em 2011, quando foram criadas 280.799 mil vagas no segundo mês do ano.

A maior parte do mercado financeiro já esperava um avanço no emprego no mês, mas o resultado veio bem acima do teto das estimativas de analistas consultados. As projeções eram de abertura líquida de 150.000 vagas a 283.936 vagas em fevereiro, com mediana positiva de 260.000 postos de trabalho.

No acumulado dos dois primeiros meses de 2021, o saldo do Caged é positivo em 659.780 vagas. No mesmo período do ano passado, a criação líquida de vagas foi de 277.517 postos formais.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.