Header Ads

Covid matou mais de 1 mil e infectou 55 mil caririenses

Foto: Antonio Rodrigues

Em 19 de março de 2020, uma quinta-feira, caririenses tiveram a certeza da chegada do novo coronavírus à região. O primeiro caso positivo divulgado em Juazeiro foi de uma mulher de 63 anos, que veio de São Paulo, apresentou os sinais da covid-19 e foi internada em um dos leitos do Hospital Regional do Cariri. No mesmo dia, a secretaria municipal de Saúde anunciava, ainda em tom de planejamento, a tomada de medidas como a criação de uma unidade própria para tratar pacientes acometidos pela doença e citava a possibilidade de o prédio da Câmara de Vereadores ser transformado em local de tratamento.

Desde aquele dia, os locais de atendimento se multiplicaram, na medida em que crescia o número de pessoas infectadas. Hoje, até o fechamento desta edição, segunda-feira, 15 de março de 2021, 1.005 pessoas já perderam a batalha contra a covid-19, em um cenário de 55.757 pessoas infectadas nos 29 municípios da região. O triângulo Crajubar concentra a maior quantidade de óbitos na região: São 10.282 casos e 131 óbitos em Crato, 18.864 pessoas infectadas e 367 mortas em Juazeiro do Norte e, em Barbalha, 3.520 ocorrências e 73 vidas perdidas.

A maioria das vítimas são pessoas idosas, sobretudo aquelas com idade acima de 70 anos, apesar de o vírus estar infectando pessoas mais jovens na atual segunda onda de contágio. Já quando se trata de pessoas infectadas, a maior parte tem idade entre 20 a 44 anos. Nos últimos 21 dias, as médias móveis de casos e de óbitos têm crescido a cada semana em Juazeiro do Norte, passando de 44 pessoas na semana de 22 a 28 de fevereiro para 66 na semana passada, enquanto a média de óbitos saltou de 0,57 para 1,14. Nas duas últimas semanas, a média móvel de casos saltou de 28 para 31 casos em Crato, enquanto a média móvel de óbitos em Barbalha aumentou de 0,14 para 0,43 no mesmo período.

De dias antes do primeiro caso até hoje, muita coisa mudou: o dia 19 de março, data da primeira confirmação, seria um dia em que mais de 50 mil cratenses sairiam às ruas para louvar São José, padroeiro da cidade. Passado um ano, novamente os festejos com a presença de fieis não poderão acontecer na próxima sexta-feira (19). Não só Crato, mas todas as cidades do Cariri enfrentam um novo isolamento social rígido que tem sido descumprido por parcela considerável da população e empresários. O cenário reflete na sobrecarga da estrutura hospitalar caririense, perto do colapso, e na rotina de profissionais da saúde. Desde o começo da pandemia, a região do Cariri lamenta as mortes de quatro trabalhadores do setor em um total de 2.294 casos confirmados.

(Fonte: Jornal do Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.