Header Ads

Gasolina passa de R$ 6,00 em Crato pela primeira vez; confira preços em outras cidades

Foto: Fabiane de Paula

Após consecutivas semanas de alta, a gasolina bateu a marca de R$ 6,00 no Ceará. O mais recente levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), realizado entre os dias 14 e 20 de março de 2021 em 147 estabelecimentos, encontrou a gasolina a R$ 6,03 na máxima estadual, no município do Crato.

Esta é a primeira vez na história que o litro do combustível ultrapassa este patamar, de acordo com os registros oficiais da ANP. Considerando o comportamento inflacionário desde o início do ano, este recorde era apenas questão de tempo. Na semana anterior, o valor máximo apurado havia sido de R$ 5,89.

O preço médio da gasolina no Ceará assinalou nova elevação, partindo de R$ 5,49 para R$ 5,51. Entre os nove estados do Nordeste, é a quinta maior cotação, abaixo de Bahia (R$ 5,89), Piauí (R$ 5,88), Rio Grande do Norte (R$ 5,87), Sergipe (R$ 5,69).

Preços da gasolina por cidade

Caucaia
Postos pesquisados: 21
Preço médio: R$ 5,505
Preço mínimo: R$ 5,199
​Preço máximo: R$ 5,699

Crato
Postos pesquisados: 7
Preço médio: R$ 5,691
Preço mínimo: R$ 5,530
Preço máximo: R$ 6,039

Fortaleza
Postos pesquisados: 101
Preço médio: R$ 5,503
Preço mínimo: R$ 5,330
Preço máximo: R$ 5,699

Juazeiro do Norte
Postos pesquisados: 8
Preço médio: R$ 5,617
Preço mínimo: R$ 5,549
Preço máximo: R$ 5,790

Maracanaú
Postos pesquisados: 10
Preço médio: R$ 5,485
Preço mínimo: R$ 5,470
Preço máximo: R$ 5,499

Observações sobre a pesquisa da ANP:
1) No caso do Ceará, a metodologia se restringe a poucos municípios. Portanto, é possível que haja valores ainda mais altos em outras cidades, mas o levantamento não consegue captar.
2) Os preços podem ter sofrido alterações desde o período em que os dados foram obtidos.

Será que vai baixar?
Após seis altas em 2021, a Petrobras anunciou, na sexta-feira (19), que irá reduzir o preço da gasolina nas refinarias. A retração de 14 centavos foi o primeiro reajuste para baixo desde o início do ano. Cabe observar se esta redução terá efeito nas bombas nas próximas semanas. Seguiremos acompanhando.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.