Header Ads

‘Mestre Getúlio’ morre vítima da Covid-19 após 77 anos como sineiro em Basílica de Canindé

Mestre Getúlio tinha 91 anos, era Mestre da Cultura e morreu esperando leito de UTI. FOTO: Jarbas Oliveira/Divulgação

O mestre da cultura popular e sineiro do Santuário de São Francisco das Chagas, em Canindé, por 77 anos, Getúlio Colares Pereira, 91 anos, morreu às 20h38 de quinta-feira (18), no hospital regional São Francisco, onde estava internado há três dias para tratamento de Covid-19.

A prefeita de Canindé, Maria do Rozário Araújo Pedroza Ximenes, decretou luto oficial de três dias no município, em homenagem ao mestre da cultura popular.

Na manhã desta sexta-feira houve cortejo fúnebre e, ao meio-dia, os sinos das igrejas e capelas vão repicar em dupla homenagem – ao padroeiro do Ceará, São José, que é celebrado hoje, pelos católicos, e a Getúlio Colares. Ele faria 92 anos no próximo dia 23.

O cortejo começou às 9 horas e seguiu a partir da praça do Hospital Regional São Francisco para o entorno da Basílica, Avenida do Monte e cemitério São Miguel, onde foi sepultado.

De acordo com o genro do sineiro, Fábio Costa Santos, “ele teve Covid-19 pela segunda vez, mesmo tendo tomado a primeira dose da vacina”.

Getúlio Colares aguardava no hospital São Francisco uma vaga de UTI para ser transferido pela regulação da Saúde de Canindé.

“Ele esperou por três dias uma vaga em um leito de UTI na ala covid do hospital local”, frisou o genro, músico e professor, Fábio Santos.

A secretária de Saúde de Canindé, Islayne de Fátima Costa Ramos, disse que “a cidade está comovida e o mestre Getúlio, apesar da idade, era ainda muito ativo”.

A gestora frisou que “todos os dez leitos de UTI estão lotados e a gente vive uma situação muito complicada”.

Mensagens homenageiam Mestre Getúlio

O diretor da Fundação Municipal de Esporte, Cultura e Parimônio, Rômulo Laurênio de Oliveira, frisou que “o sentimento de tristeza se abate sobre toda a cidade de Canindé”.

Ele lembrou que “o mestre Getúlio era um símbolo da cidade, uma pessoa fundamental no período da festa de São Francisco ao tocar com maestria os sinos e que era uma pessoa próxima, muito amiga e querida por todos”.

O genro, músico e professor, Fábio Santos, escreveu mensagem em rede social. “Morre um homem, mas a sua história e seu legado ficam em nossas lembranças, nesse caso específico vai ficar a lembrança dos sons dos seus repiques. Faleceu o mais verdadeiro exemplo de homem, pai, esposo e de honestidade que eu já vi em minha vida. Vá em paz, mestre Getúlio”.

A morte do sineiro repercutiu em todo o município, entre moradores e romeiros. Em nota, o Santuário de São Francisco expressou: “Fomos surpreendidos pela notícia do falecimento do nosso sineiro Getúlio Colares”.

A nota revela ainda gratidão ao sineiro, que foi um colaborador da paróquia, que, segundo a instituição, ficará na memória dos romeiros, devotos e paroquianos.

“Seu Getúlio, há 77 anos, repicara os sinos das nossas igrejas e, no próximo dia 23 de março, faria 92 anos de vida. Aproveitamos para expressar à família os nossos mais sinceros sentimentos”, diz a nota do Santuário de São Francisco.

O pároco frei Francisco Édson pediu aos católicos que neste 19 de março em todas as igrejas e capelas da nossa paróquia de São Francisco sejam tocadas ao meio-dia os sinos e que se rezem o ‘angelus’ em homenagem a São José e a Getúlio Colares. “Será uma simples e linda homenagem de todos os paroquianos a quem nos fez muito feliz pelo toque do sino”.

Nas redes sociais, pessoas expressaram sentimentos de pesar. “Tão lindo e sábio era o Getúlio. Aos familiares, ficam aqui os meus sinceros sentimentos, na certeza que ele foi acolhido pelo Pai celestial”, disse Josedna Dias. A amiga Francisca Lima disse: “vá em paz, mestre”.

Mapa apresenta sineiro como Mestre da cultura

O Mapa Cultural da Secretaria de Cultura do Ceará trouxe o registro do mestre Getúlio Colares Pereira – mestre Getúlio – em 2007. “Sineiro: a atividade tradicional da cultura, onde o ritmo dos sinos das igrejas toca a vida das cidades e divulga informações importantes para a população. O ofício de sineiro é executado com dedicação rigorosa.”

Ainda segundo o documento da Secult, o Mestre Getúlio começou a tocar sinos com a idade de 15 anos, precisamente no dia 29 de junho de 1944 por ocasião de uma procissão em homenagem ao Coração de Jesus.

Conforme a Secult, o povo de Canindé conhece os repiques e sabia quando era Getúlio quem tocava. “Aliás seus repiques estão presentes em LP’s (Músicas e hinos dedicados a São Francisco). Com habilidade toca o sino em ritmos diferentes para ocasiões especiais, toques para momentos alegres e toques para momentos tristes e com repertório de oitenta e cinco toques diferentes”.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.