Header Ads

Suspensão de abastecimento da Operação Carro-Pipa prejudica mais de 8 mil famílias no Cariri

Foto: Diário do Nordeste

A Operação Carro-Pipa, que funciona em mais de dez municípios do Cariri e atende cerca de oito mil famílias - mais de 30 mil pessoas - está suspensa desde o dia 16 de fevereiro. O problema? Falta de repasses financeiros, por parte do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em decorrência do Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2021 ainda não ter sido aprovado pelo Congresso Nacional. A operação funciona com distribuição de água potável a comunidades da zona urbana e rural atingidas pela estiagem. Entre os municípios caririenses, Crato, Campos Sales e Salitre somam mais de 20 mil pessoas beneficiadas, sendo mais de 12 mil somente em Salitre. A Operação funciona com recursos federais, provenientes do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR). Já as ações de fiscalização, coordenação e distribuição de água são de responsabilidade do Exército Brasileiro.

Everaldo Claudino, à frente da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Salitre, conta que o programa atende 12.308 pessoas, através da distribuição de água em 290 pontos no Município. “Não há alternativa para suprir essas necessidades, pois Salitre não tem reservatório de água potável. As famílias estão gastando dinheiro de outras atividades domésticas para comprar água potável. Outras estão captando água da chuva, através de bicas no telhado, tendo em vista que estamos na quadra chuvosa”, conta. Conforme ele, a captação não é suficiente, pois as chuvas estão em pouca quantidade e o manancial que abastece Salitre é localizado em Serra Branca, no Pernambuco.

Em Campos Sales, segundo informações repassadas por Afonso Rodrigues, que comanda a Coordenadoria Municipal, 8.013 pessoas, de 133 famílias carentes, são atendidas pela Operação – algo que, desde 2018, não tem sido realizado em sua totalidade. “Hoje, temos várias comunidades que estão sem receber água potável há mais de seis meses”, comenta, ao dizer que o Exército deveria atender mensalmente as comunidades. Ele conta que o prefeito municipal decretou, o Estado Homologou e o Governo Federal reconheceu a Situação de Emergência. “O Município não dispõe de recursos suficientes para atender toda demanda. Se não fossem essas chuvas que caíram nestes últimos dias, a população estava passando sede”, menciona.

Em Crato, Josimere de Melo, coordenadora de Proteção e Defesa Civil, relata que a situação no Município está sob controle. Mais de duas mil pessoas, distribuídas em 75 localidades, são atendidas. Elas recebem entre uma e duas carradas por semana, com recebimento de 20 litros de água por dia para cada pessoa. Meire explica que, no começo da quadra chuvosa, o Município pediu a suspensão das atividades, por ver que as comunidades já estavam com água. Ela destaca que o Crato possui um carro-pipa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e ainda conta com carros cedidos pela companhia de água local. Já a quantidade de pipeiros é insuficiente. Os profissionais, que operam o carro-pipa, alegam dificuldades como distância e valor baixo de quilometragem etc. “Com o quantitativo de chuvas que está tendo diariamente, a gente vai, pelo menos, dar um suspiro por dois ou três meses”, conta, ao dizer que, no máximo, em junho, a operação deve retornar.

O diretor geral do Sindicato dos Pipeiros do Ceará (Sinpece), Eduardo Aragão, enfatiza que, devido as chuvas na maior parte dos municípios estarem fracas, ainda não há água suficiente, o que causa preocupação. “ A importância do carro pipa é algo incontestável, pois mesmo com poços profundos a grande maioria não é de água pro consumo humano, tem um alto teor de salinidade que afeta vários órgãos como os rins, e a operação carro pipa é captada em mananciais mensalmente feito análise da água pro laboratórios do estado, também nos preocupa o atraso nos pagamentos que desde do mês de dezembro ninguém recebeu ainda, estamos em constante contato com o exército para tentamos solucionar isso o mais rápido possível pois se trata de água potável, ou seja água para beber e cozinhar.

Em nota à imprensa, o MDR informou que “está impedido de realizar os repasses integrais e regulares para a Operação Carro-Pipa Federal (OCP) em decorrência do Projeto de Lei Orçamentária Anual - 2021 (PLOA) ainda não ter sido aprovado pelo Congresso Nacional. O MDR e o Ministério da Economia buscam alternativas no âmbito do Governo Federal para possibilitar a execução da Operação em sua integralidade e evitar prejuízos à população”.

(Fonte: Jornal do Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.