Header Ads

Ceará: 2021 já registra 40% do total de óbitos por Covid-19 de 2020, apontam cartórios

Foto: Paulo Alberto

Janeiro, fevereiro e março de 2021 registraram 4.061 óbitos por Covid-19 no Ceará, de acordo com o Portal da Transparência dos Cartórios de Registro Civil do Brasil. O quantitativo já representa 40% das mortes registradas pela doença (9.928), no estado, durante todo o ano de 2020 — desde o começo da pandemia.

Neste ano, os homens entre 70 e 79 anos são a faixa etária por gênero com a maior quantidade de óbitos por Covid-19, com 519 registros. Entre as mulheres, a mesma faixa etária também desponta na estatística, com 465 óbitos, de acordo com o portal.

O primeiro trimestre de 2021 é, inclusive, o segundo mais letal de toda a pandemia no estado, ficando atrás apenas do trimestre abril-maio-junho de 2020, período com os dois meses do primeiro pico da Covid-19 no Ceará.

Confira os números por trimestre:
Abril, maio e junho de 2020: 6462 óbitos;
Janeiro, fevereiro e março de 2021: 4.061 óbitos;
Julho, agosto e setembro de 2020: 2245: óbitos;
Outubro, novembro e dezembro de 2020: 1175 óbitos.

Janeiro, fevereiro e março registram ainda um acréscimo de 18% no número de mortes se comparados aos últimos seis meses de 2020, reforçando a crescente de casos e óbitos registrados no Ceará.

Neste ano, os dias 17, 18 e 19 de março foram os que mais registraram óbitos neste ano. Nesses dias, ocorreram, respectivamente, 126, 119 e 122 mortes por Covid-19 em todo o Ceará. Os números, porém, são inferiores ao pico do ano passado, em maio, quando, nos dias 11 e 12, foram registrados os falecimentos de 168 e 159 pessoas, respectivamente.

Estabilização antes do Brasil
Apesar da crescente, um estudo aponta que o estado deve chegar à estabilidade de casos confirmados e óbitos por Covid-19 em até 15 dias antes do que no Brasil. A projeção apontada é que o Ceará tenha média móvel estável de casos já durante a primeira quinzena de abril e, de mortes, entre fim de abril e início de maio.

O estudo foi realizado pelo professor André de Almeida, do Departamento de Engenharia de Teleinformática da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Na visão dele, a possibilidade de o Ceará ficar com casos e óbitos por Covid-19 estáveis antes do país decorre do isolamento social rígido (lockdown), determinado pelo governador Camilo Santana em todo o território cearense no dia 13 de março deste ano. As medidas mais restritivas devem ocorrer até, pelo menos, o dia 4 de abril.

Covid-19 no Ceará
Até esta sexta-feira (2), o Ceará confirmou 547.414 casos de Covid-19; entre eles, 14.305 pessoas faleceram devido à doença. A letalidade do coronavírus no estado está em 2,6; e foram registrados 5 mortes em 24 horas, de acordo com o IntegraSUS, plataforma da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Entre todos os casos, 386.368 se recuperaram da Covid-19, e o estado tem ainda 79.521 casos em investigação.

No Ceará, 956 pacientes de Covid-19 aguardam transferência em unidades hospitalares, sendo 525 para Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) — que estão com 91,96% de taxa de ocupação; e 431 para leitos de enfermaria, que tem 77,4% de ocupação.

Fonte: G1 CE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.