Header Ads

Crato e Barbalha perderam mais postos de trabalho que Juazeiro

Foto: Marília Camelo

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referentes ao mês de março de 2021, publicados na última quarta-feira (28), as cidades de Barbalha e Crato perderam mais empregos formais em seus números totais individuais que Juazeiro do Norte, mesmo tendo, ainda que com populações somadas, menos habitantes que a terra do Padre Cícero.

Os dados mostram que Barbalha admitiu 237 e desligou 250, uma perda de 13 postos de trabalho. Na cidade, o setor do Comércio admitiu 49 e desligou 76, uma perda de 27, o que representa -1,64%. Já o setor da Indústria admitiu 76 e desligou 93, uma perda de 17, o que representa -0,69%. O setor da Agropecuária admitiu 2 e desligou 3, perdendo apenas 1 posto, o que representa -0,40%.

Em balanço positivo nos dados referentes a Barbalha aparecem os setores de Construção e Serviços. O primeiro admitiu 32 e desligou 21, um ganho de 11, o que representa +1,37%. Já o segundo, admitiu 78 e desligou 57, um ganho de 21, o que representa +0,39%.

Crato foi a cidade onde mais ocorreram desligamentos de empregos formais no Triângulo Crajubar durante o mês de março. No total, foram 370 admissões e 494 desligamentos, uma perda de 124 postos. Entretanto, seu comércio foi o único a registrar saldo positivo no número gerado. No setor, foram registradas 103 admissões e 93 desligamentos, um ganho de 10, o que representa +0,25%.

Ainda em Crato, o setor de Indústria admitiu 99 e desligou 215, uma perda de 116, o que representa -0,89%. Já o setor da Construção admitiu 24 e desligou 82, uma perda de 58, o que representa -10,68%. O setor de Agropecuária cratense admitiu 1 e não registrou desligamentos, o que representa +0,90%. Por último, o setor de Serviços admitiu 143 e desligou 104, um ganho de 39, o que representa +0,89%.

Na maior cidade do Triângulo Crajubar, Juazeiro do Norte, os dados do Caged mostraram um cenário mais confortável que os de suas vizinhas Barbalha e Crato. Na terra do Padre Cícero, no total, foram registrados 1.373 admissões e 1.378 desligamentos, uma perda de 5 postos.

Em Juazeiro, o setor da Indústria admitiu 201 e desligou 329, uma perda de 128 postos, o que representa -1,67%. O setor de Comércio admitiu 386 e desligou 428, uma perda de 42, o que representa -0,32%. O setor de Construção admitiu 145 e desligou 131, um ganho de 14, o que representa +0,72%. O setor de Serviços admitiu 641 e desligou 490, um ganho de 151, o que representa +0,68%. Por último, o setor de Agropecuária manteve os seus 9 postos de trabalho.

Na variação total em porcentagem, Juazeiro do Norte teve a menor queda de empregos formais, com -0,01%. Barbalha vem seguida com -0,12%, No pior cenário entre as três aparece Crato, com -0,89%.

Fonte: Site Miséria

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.