Header Ads

Morre o político Levy Fidelix, vítima da Covid-19, aos 69 anos


Morreu na noite desta sexta-feira (23), Levy Fidelix, vítima da Covid-19, aos 69 anos. O político estava internado em um hospital particular de São Paulo desde março deste ano.

Durante a madrugada deste sábado (24), o prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga, escreveu nas redes sociais sobre a morte de Levy Fidelix. “Que Deus conforte toda a família desse grande líder nacional”.

O deputado federal por Mato Grosso do Sul, José Medeiros, também prestou condolências à família do político. “Meus sentimentos à família do presidente do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), @levyfidelix”, legendou.

Levy Fidelix deixa a esposa, Aldinea Rodrigues Cruz, e uma filha, Lívia Fidelix, que tentou se eleger deputada estadual por São Paulo, no ano de 2018, pela sigla fundada pelo pai.

Trajetória

José Levy Fidelix da Cruz nasceu em 27 de dezembro de 1951, em Mutum, em Minas Gerais. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), fundou uma agência de publicidade e trabalhou como diretor de criação em outras duas.

Como jornalista, atuou em empresas renomadas, como os jornais Correio da Manhã, Última Hora e fundou duas revistas. Também foi âncora de um programa sobre informática na TV Bandeirantes e no SBT.

Política

Era conhecido como um dos defensores da família, da pátria e de valores conservadores. Em 2021, completou 35 anos na política, embora não tenha sido eleito em nenhum dos 13 pleitos que disputou.

Ingressou na política em 1986, quando fundou o Partido Liberal (PL) e se lançou candidato a deputado federal pelo Estado de São Paulo. Em 1989, migrou para o Partido Trabalhista Renovador (PTR) e concorreu ao mesmo cargo público.

Entre 1992 e 1994, fundou o PRTB com o objetivo de disputar como presidente da República. No entanto, ele teve o registro de candidatura barrado pela Justiça Eleitoral.

O ‘Homem do Aerotrem’

Ficou conhecido como “o Homem do Aerotrem” quando concorreu, no ano de 1996, à Prefeitura de São Paulo. À época, ele lançou a proposta que consistia na implantação de um trem-bala (alta velocidade) na capital paulista.

Na visão do político, o aerotrem seria a solução dos problemas de mobilidade urbana da cidade. O jingle do “Homem do Aerotrem” (Vem, vem, vem / Vem que tem / Levy Fidelix / É o homem do Aerotrem) caiu na boca do povo.

Aliança com Collor

Em 1998, decidiu se lançar como governador do Estado de São Paulo. Em 2000, Levy Fidelix abandonou a cabeça de chapa da sigla e entrou como vice-prefeito de Fernando Collor de Melo.

O fundador do PRTB já havia trabalhado como assessor de comunicação do ex-presidente da República na campanha de 1989 e 1990. Porém, ainda em 2000, o registro de candidatura deles foi negado antes mesmo da eleição.

Em 2002, voltou a candidatar-se como governador de São Paulo. Em 2004, concorreu como vereador da capital paulista, e em 2006, tentou novamente ser deputado federal. A última vez que ele pleiteou à Prefeitura de São Paulo foi em 2008.

Corrida presidencial

Desde então, decidiu mudar o foco, e ingressou na corrida presidencial em 2010 e em 2014. Nesta última, protagonizou embates que geraram repercussão por causa das declarações polêmicas, especialmente com falas consideradas de cunho homofóbico.

A última participação de Levy Fidelix em eleições foi em 2018, quando foi candidato a deputado federal por São Paulo, em que ele não obteve sucesso.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.