A partir de sábado (02 de abril de 2022), data em que é celebrado o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo, uma programação especial sobre o tema será desenvolvida em municípios do Cariri. Missão Velha, Crato, Milagres e Farias Brito são alguns deles. Entre as ações, estão agendados encontros de famílias e conferências. O universo do Transtorno do Espectro Autista (TEA), ainda revestido de desinformação e desassistência por parte da população, servirá como debate para as discussões.

Ana Moésia, Mestra em Educação e presidente da Associação de Pais, Amigos e Profissionais dos Autistas do Cariri (Ama Cariri), conta que a região ainda apresenta uma carência muito grande na oferta dos atendimentos e inclusão dos autistas. Ela cita que há falta de profissionais como fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, neuropediatras e acompanhantes especializados nas escolas, o que ocasiona muitas reclamações por parte das famílias de pessoas com autismo.

Saiba mais no Instagram AMA CARIRI

Desta forma, a intenção dos municípios, em voltar o mês de abril para debater sobre a TEA, é de levar ao público a informação. No dia 02, entre outros locais que estão em fase de agendamento, ocorrerão encontros de famílias na Ama Cariri, em Missão Velha; na Praça da Sé, em Crato; e no Tiblu, em Milagres. Além de outras ações, haverá reuniões on-line, que poderão contar com a participação de pessoas que não possam comparecer às atividades presenciais. No dia 21, haverá um congresso virtual e, no dia 28, encontro do grupo de estudo e pesquisa sobre TEA da Ama Cariri, pelas redes sociais.

“A sociedade de uma forma geral pode contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos autistas, permitindo o acesso do mesmo em todos os ambientes, sem olhares de preconceito e discriminação. No mês de abril, veja a programação da sua cidade e participe! Vamos juntos tornar o Cariri mais consciente e inclusivo”, convida a educadora, que fundou a Ama Cariri no ano de 2015. O objetivo? Promover a conscientização do Autismo na região do Cariri.

Como lembra, o projeto teve início com dificuldades encontradas pela família no tratamento e inclusão do filho Pedro Igor e por encontrar outras famílias com as mesmas dificuldades. “Conseguimos mobilizar muitos municípios, aprovar diferentes leis nas câmaras municipais da região. Hoje, temos grupos de familiares bem consolidados que conhecem os direitos dos seus filhos e lutam conosco”, destaca Moésia.

Saiba mais

Desde 2022, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou a CID-11, nova versão da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde. Ana Moésia menciona que o Autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento e afeta, de diferentes maneiras, a comunicação, interação social e o comportamento. “De acordo com a CID 11, ele se apresenta em três níveis, caracterizados pelo nível de suporte que cada um necessita”, explica.

O tratamento, conforme informou, consiste em terapias individuais que deverão ser realizadas semanalmente, em um número que sempre deve ser indicado pelo médico neuropediatra ou psiquiatra infantil que acompanha o autista. O mais indicado atualmente são: psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, profissionais de educação física, nutricionistas, dentre outros. Além da inclusão escolar com acompanhante especializado. “O importante é saber que todos esses profissionais necessitam de formação baseada em evidências científicas  para conseguir conduzir esse tratamento”, finaliza.

Fonte: Jornal do Cariri

Post a Comment