Além de Dom Ailton Menegussi, outros quatro padres da Diocese de Crateús estão ameaçados de morte. Foto: Reprodução

16/10/2023

Fiéis católicos de Tauá, no Sertão dos Inhamuns, foram pegos de surpresa no encerramento da Festa da Padroeira Nossa Senhora do Rosário, no último fim de semana, após descobrirem que um bispo e quatro padres da Diocese de Crateús teriam sido ameaçados de morte no Município. A notícia foi revelada pelo Padre Géu, pároco da comunidade, na última noite de festejos, neste domingo (15). Ao final da cerimônia, o padre leu uma carta e informou que o Bispo Dom Ailton Menegussi, e os sacerdotes Elton, Neto, Thallys e Damácio estariam sendo ameaçados de morte e, por isso, não retornaram à Tauá em 2023. 

O padre Géu revelou também que a situação não foi exposta por parte da igreja, mas que sentiu a necessidade de assumir publicamente. A reportagem apurou que, até a manhã desta segunda (16), nenhum boletim de ocorrência havia sido feito.

“Nós passamos o ano inteiro sem dar uma palavra acerca dessa situação, mas chegou a hora em que precisamos assumir publicamente essa situação. Neste ano Dom Ailton Menegussi não veio a Tauá em nenhuma ocasião, o bispo e quatro padres estão ameaçados de morte”, afirma. 

Por questões de segurança e prudência, a decisão é que os religiosos não retornem ao Município neste ano. Padre Géu também pontuou que não iria dar entrevistas sobre a situação e que não lhe caberia conversas sobre o tema. Até a publicação deste conteúdo, a Diocese de Crateús não se pronunciou sobre o assunto ou sobre as motivações das ameaças.

APOIO

A prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar (PSD), se mostrou indignada com a situação envolvendo o Bispo Dom Ailton e os sacerdotes da Diocese de Crateús. “Como prefeita de Tauá e cristã, registro minha indignação pelas injustas ameaças feitas ao Bispo D. Ailton e aos padres Talles, Elton, Neto e Damásio, e, ao mesmo tempo, presto a mais absoluta solidariedade aos mesmos”, ressalta em nota. “O Bispo D. Ailton representa o Papa Francisco na nossa Diocese e realiza um grandioso trabalho na sua missão de santificar, ensinar, evangelizar e governar a nossa Igreja. Esperamos que a Justiça seja feita para que seja combatido esses atos de extrema insensatez.”

Fonte: Opinião CE

Post a Comment