Header Ads

Chikungunya já matou 136 pessoas no Ceará em 2017

Sobe para  136 o número de óbitos por chikungunya no Estado. De acordo com o último boletim epidemiológico das arboviroses da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), referente a semana epidemiológica (SE) 44, as mortes foram registradas em 17 municípios. No estudo anterior, publicado em outubro e referente a SE 39, eram 117.  A Capital lidera com 105 óbitos confirmados por chikungunya, seguida por Caucaia (5), Acopiara (3), Aracati (3), Maracanaú (3) e Maranguape (3). Beberibe, Itapajé e Senador Pompeu notificaram dois óbitos cada e Jaguaretama, Marco, Morada Nova, Pacajus, Piquet Carneiro, Trairi, Umirim e Viçosa tiveram um registro cada.

Os casos notificados também subiram. Em outubro eram 130.920 suspeitas de chikungunya. Destes, 70,8%, cerca de 92.752, confirmados e 14,4% ( 18.925) descartados. Atualmente, são 134.223 notificações, sendo 71,7% (96.299) foram confirmados e 15,6% (20.971) descartados. Dos 184 municípios cearenses, apenas 4 não notificaram casos suspeitos de chikungunya e 91,1% (164) têm casos confirmados.

Arboviroses

As altas notificações das arboviroses no Estado- dengue, zika e chikungunya- revelam o cenário epidêmico. Até a SE 44, a incidência acumulada de casos notificados para arboviroses é de 2.411,1 casos por 100 mil habitantes, distribuídos em 183 dos 184 municípios, caracterizando um cenário epidêmico no Estado.  109 municípios apresentava incidência acima de 300 casos notificados por 100 mil habitantes, considerados com alta incidência.

Este ano,  foram notificados 78.591 casos de dengue no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), correspondendo a uma taxa de incidência acumulada no Estado de 876,7 casos por 100 mil habitantes. Apenas um município não registrou caso de dengue no Estado. 

Foram confirmados 30,2% (23.798/78.591) dos casos em 86,8% (159/183) dos municípios. Foram identificados vinte (20) municípios com altas incidências: Acopiara, Alto Santo, Brejo Santo, Farias Brito, Horizonte, Iracema, Quixeramobim, Tabuleiro do Norte, Milagres, Fortaleza, Várzea Alegre, Mauriti, Icó, Granjeiro, Irauçuba, Solonópoles, Jaguaretama, Umari, Potiretama e Jaguaribara.  

Dentre as confirmações,  16 óbitos, 87 são  casos de dengue com sinais de alarme (DCSA) e 24 de dengue grave (DG). O boletim epidemiológico mostra ainda que, analisando o cenário epidemiológico das três Arboviroses, nas últimas cinco semanas, observa-se uma redução dos casos associada, possivelmente, à sazonalidade das doenças e à redução dos suscetíveis.         (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.