Header Ads

Comissão formada no HRC, em Juazeiro, amplia os cuidados para evitar lesões em pacientes por pressão

FOTO: Raquel Oliveira

Segurança do paciente e qualidade no atendimento assistencial à saúde são palavras-chave quando o assunto é prevenir as lesões por pressão. No Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro do Norte, o assunto tem norteado ações constantes na unidade.

A mais recente foi a criação da Comissão de Prevenção de Lesão Por Pressão, idealizada pela estomoterapeuta Yterfânia Feitosa. “As lesões por pressão são uma realidade principalmente dentro de uma Unidade de Terapia Intensiva, devido à gravidade dos internados e limitações impostas, muitas vezes, pela condição do paciente. Porém, precisamos estar sempre pensando em soluções que possam minimizar esses danos”, pontua.

De acordo com a profissional de saúde, atualmente existem ferramentas importantes, como os coxins, uma espécie de almofada feita de espuma que é colocada sob a cabeça do paciente e que pode minimizar o aparecimento ou o agravamento das lesões. Os equipamentos, ela destaca, devem ser utilizados de forma correta por toda a equipe. “Com a Comissão, ampliamos nossos olhos e mãos para dentro de todos os setores assistenciais e, assim, auxiliamos as equipes quanto à utilização correta desses equipamentos”.

A Comissão é formada por 15 enfermeiros de cada setor assistencial (UTI, Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Ortopedia, Emergência e Unidade de Cuidados Especiais).

Qualidade de vida para o paciente
Para a coordenadora geral de Enfermagem, Anne Rafaela, a criação do grupo vem num momento oportuno, uma vez que o número de leitos de UTI crescem no hospital em decorrência dos casos graves de Covid-19. “A prevenção da lesão por pressão é garantir mais qualidade de vida para o paciente. Temos recursos simples e eficientes para prevenir a lesão, mas é preciso o uso assertivo do equipamento. A partir do momento que temos um membro da Comissão por setor, os profissionais podem tirar as dúvidas sobre o uso dos coxins de forma correta. Quem ganha, no fim de tudo, são os pacientes”, afirma.

Uma das participantes da Comissão é a enfermeira Joseana Ferreira Parente, que hoje lidera cinco técnicos de enfermagem na Clínica Médica e, em breve, estará assumindo o posto na sua nova missão, dentro da UTI Covid. “Me sinto muito feliz em fazer parte desse movimento que ajuda a transformar as nossas práticas em práticas de qualidade. Esse é um sonho que a Enfermagem almeja alcançar, com uma assistência baseada na qualidade, com conhecimento científico, e que a gente consiga aplicar no nosso dia a dia. As lesões podem aparecer por vários fatores, mas se depender do nosso empenho e do uso correto dos equipamentos, nossa incidência de lesões será zero”.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.